26 de fev de 2011

Você concorda com o uso de peles de animais na industria da moda?

O uso de pele de animais pela indústria da moda vem causando muita polêmica nos últimos anos e ainda hoje é um assunto que preocupa muito ambientalistas e associações de proteção dos animais.

Durante muito tempo usar roupas, casacos ou estolas de pele animal era o sonho de meninas ricas da Europa, já que era considerado muito elegante. Hoje os conceitos são diferentes e há uma rejeição de grande parte das pessoas, com poder aquisitivo para tanto, em usar roupas com pele animal.

Campanhas contra o uso de pele de animais ganharam o mundo da moda, e ativistas e ambientalistas ganharam a adesão de milhares de pessoas nessa causa, inclusive muitos estilistas hoje levantam essa bandeira nos eventos moda e defendem a preservação das espécies, abominando o uso das peles dos animais em suas roupas.

Muitas campanhas estão ocorrendo a fim desensibilizar o consumidor sobre as atrocidades cometidas para a retirada da pele dos animais. Milhões de animais são mortos anualmente para atender o mercado e muitas vezes a pele é retirada enquanto os animais estão vivos para que a pele não perca sua qualidade e seu valor comercial.
Propaganda de sensibilização contra o uso de peles de animais, protagonizada pela Cantora Pink

Pink em defesa dos animais (matéria explicativa da campanha/propaganda)  http://www.youtube.com/watch?v=JVfvyO5iRvw



Atualmente muitas pessoas usam casacos de pele sintética por considerar uma opção mais correta, entretanto ainda há muitas pessoas que usam sapatos, bolsas, cintos e outros acessórios de couro. Este fato ainda é percebido nos desfiles de moda.

A indústria do couro sintético vem crescendo e se aperfeiçoando sistematicamente, novas tecnologias são empregadas para garantir a qualidade, beleza e durabilidade.

A pele de animais apareceu em coleções de inverno de três estilistas na semana de moda carioca do Outono Inverno 2011. Nos desfiles do Fashion Business - evento paralelo à Fashion Rio, pelo menos três estilistas levaram peles à passarela: Carlos Miele, que usou raposa e coelho; Patrícia Vieira, que apresentou roupas de pele de cabra e de coelho, e Victor Dzenk, com peles de chinchila tingidas de rosa, vermelho e azul. Esta tendência também é internacional.

Pele de animal em desfile Grife Carlos Miele no Fashion Business (Rio, 2011)

O tema é controverso porque o inverno brasileiro é ameno, ainda mais aqui em Cuiabá (inverno de 40°... Affff!!!!), portanto não haveria razão para o uso de peles verdadeiras. Apesar do clima, o uso de peles é um promissor negócio no Brasil, que é o segundo maior produtor de peles de chinchila, atrás da Argentina. São cerca de 500 fazendas que abatem e comercializam em torno de 40 mil peles por ano.

Os animais que são criados para a produção de pele são submetidos a maus tratos. As chinchilas, por exemplo, são eletrocutadas ou têm os pescoços deslocados. Agonizam conscientes, enquanto a pele é retirada. Parece um filme de terror? E é.... para este animais indefesos.


Você concorda com o uso de peles de animais?



Nenhum comentário: